“Ferramentas e caminhos” geram renda para mulheres

>Saber mais...

Um programa de empreendedorismo com o objetivo de gerar emprego, renda e independência para mulheres vulneráveis social e economicamente, que moram próximo à Alumar em São Luís, Brasil, foi um show de beleza.

Financiado pelo Instituto Alcoa, o programa Ferramentas e Caminhos possibilitou dois meses de treinamentos na área da beleza e cinco semanas de supervisão e orientação para 143 mulheres que lidam com a pobreza, desemprego, violência doméstica ou outras questões sócio-econômicas. Aproximadamente 35% das participantes não tinham fonte de renda e algumas não possuiam moradia.

O programa, que foi uma iniciativa do Instituto de Cidadania Empresarial do Maranhão, ofereceu treinamento teórico e prático, cobrindo escovação de cabelos, design de sobrancelha, depilação, manicure e pedicure. Após a conclusão, as participantes receberam certificação e kit empresarial que incluiu secador e prancha de cabelo, além de outras ferramentas. 71% das participantes conseguiram autonomia ou independência financeira, com aumento da renda média recebida. A Alumar também promoveu workshops virtuais sobre gestão de negócios e empreendedorismo para as formandas.

“Sempre gostei da área de beleza, mas não tinha dinheiro para fazer um curso profissionalizante”, disse Nildilene Lindoso, uma das participantes. “Quando soube do programa Ferramentas e Caminhos, estava desempregada e me agarrando a qualquer oportunidade.”

Depois de terminar o treinamento, Nildilene começou a receber clientes na casa que divide com sua família. No final de 2020, ela se tornou sócia de um salão de propriedade de uma amiga, mas ainda mantinha sua própria clientela. “Além de contribuir com as despesas domésticas da minha família, me sinto mais feliz e satisfeita porque tenho minha profissão e estou construindo meu negócio aos poucos”, disse Nildilene.

Refusão tem a primeira dupla de mulheres na Hot Top

>Saber mais...

O número de mulheres tem crescido na Refusão, inclusive em tarefas que até pouco tempo eram executadas exclusivamente por homens, como a Hot Top, onde são produzidos os tarugos. Esse é um equipamento que exige muita atenção, devido ao risco de projeção de metal, e treinamento, pois sua operação é complexa. Esta tarefa sempre exigiu muito esforço físico, por isso, foram feitas diversas adequações para uma melhor condição ergonômica, como a redução do peso da marreta de abertura de fornos, de 5kg para 4kg, e redução do peso da escumadeira do A622, de 7kg para 5kg, beneficiando todos os colaboradores e colaboradoras.

O início do trabalho das mulheres na Hot Top foi em 2018, depois das primeiras serem treinadas, mas sempre fazendo dupla com um homem. Recentemente, foi formada a primeira dupla só de mulheres: Manuela Aparecida de Oliveira e Naiara Alves do Prado.

“Trabalhamos em uma empresa que valoriza seus colaboradores e acredita nas mulheres, eu sempre quis uma oportunidade para mostrar meu potencial. Aprendi que você não deve criar limites para si mesma, você pode chegar onde desejar”, disse Naiara.

Manuela, uma das primeiras a receber o treinamento para atuar na Hot Top, considera esse trabalho muito bom, apesar de exigir muito dos operadores. “Foi mais um desafio que superei com muita força de vontade e ânsia de aprender”, conta.

Hoje, Manuela ajuda também no treinamento de novas colegas para a área.

Aliança pela conservação ambiental

>Saber mais...

A ALUMAR participa da Rede de Ajuda Mútua (RAM), que envolve 20 empresas e órgãos públicos no distrito industrial. Entre diversas ações a RAM promove ações socioambientais, como a iniciativa Clean Up the World, que mobilizou cerca de 200 voluntários para a limpeza do Rio Pedrinhas, localizado na área rural de São Luís (MA), coletando 1.200 Kg de resíduos e plantando 150 mudas.

Para o diretor da ALUMAR, Helder Teixeira, "a união de empresas, órgãos públicos e sociedade, visando o bem comum, leva a uma maneira moderna de praticar o crescimento sustentável, no qual todos compartilham experiências, exercem ajuda mútua e interagem com foco no desenvolvimento local".

Melhoria contínua na segurança de barragens

>Saber mais...

Em 2019, a Unidade de Poços de Caldas (MG) realizou simulado de emergência, envolvendo autoridades municipais, bombeiros, departamentos de polícia, líderes comunitários, residentes, mídia local, entre outras partes interessadas. Um passo importante para treinar todas os envolvidos e levantar lições aprendidas que resultaram em melhoria no Plano de Atendimento à Emergência (PAE), além de contribuir com outras unidades da Alcoa no mundo.

Em Juruti (PA), o programa de Visita da Comunidade, regularmente realizado pela empresa, foi potencializado com enfoque às lagoas de disposição de rejeitos. Comunitários, imprensa, representantes de organizações civis, acadêmicas e autoridades públicas, visitaram as operações, incluindo o Grupo de Trabalho de Estudos e Seguranças de Barragens do Governo do Estado do Pará (GT de Barragens). Além das visitas, os técnicos da Alcoa também realizam campanhas educativas de segurança diretamente nas comunidades da área de influência direta.

Em São Luís (MA), a Alcoa opera refinarias de alumina, e, como parte do processo, utiliza uma Área de Resíduo de Bauxita. Essas Áreas são desenhadas, construídas e operadas com padrões de excelência operacional internacionais. Todo o sistema está em conformidade com a legislação federal e estadual, assim como auditorias independente e atualizações no Sistema Nacional de Informações Sobre Segurança de Barragens (SNISB).

Plante Uma árvore – São Luís (MA)

>Saber mais...

Na região de São Luís, em parceria com a Escola Casa Familiar Rural de São Luis, 1.100 mudas foram plantadas a fim de recuperar áreas de preservação permanentes degradadas e nascentes. O Projeto Plante Uma Árvore visa desenvolver práticas educacionais sobre a importância do reflorestamento; fomentar visitas das escolas locais para fins de educação ambiental e reestabelecer a cobertura vegetal com espécies nativas, despertando nas comunidades a importância da preservação e conservação, não só dos recursos hídricos, mas também de todos os recursos naturais essenciais à qualidade de vida e saúde humana.

Motoristas de Elite

>Saber mais...

O transporte de minério de bauxita por terrenos montanhosos é um risco crítico de segurança para nossa mina da Alcoa em Poços de Caldas, sul de Minas Gerais. Em setembro de 2020, a localidade lançou o Programa Motoristas de Elite, para aprimorar as habilidades dos(as) motoristas contratados(as) que transportam a bauxita das minas até a Fábrica.

Cada motorista passa por uma avaliação psicológica confidencial, para avaliar suas habilidades comportamentais, psicológicas, técnicas e sociais dentro do ambiente de trabalho. Em especial, estão as principais características do perfil desejado - paciência, boa concentração, capacidade de trabalhar em uma atividade rotineira e bom nível de energia para manter o foco durante o turno. Com base nos resultados da avaliação, o motorista pode receber treinamento ou participar de outras ações de acompanhamento.

Para a parte de habilidades de direção do programa, um especialista externo desenvolveu práticas de direção padrão para serem usadas em toda a mina. Este especialista também avalia as habilidades de cada motorista e oferece treinamento sobre as melhores práticas, com grande foco em evitar colisões e tombamento de veículos.

O Programa Motoristas de Elite é um dos três pilares que nossa unidade de Poços de Caldas está implementando para lidar com o risco de transporte. Os outros são equipamentos (tipagem e manutenção) e ambiente (condições das estradas, projeto, inclinação, entre outros).

As Margaridas

>Saber mais...

O Programa As Margaridas, criado pela Rede de Mulheres da Alcoa (AWN) e o RH, promoveu ao longo de dois meses a conexão virtual de mulheres da Alcoa durante o período de distanciamento social, com o objetivo de trocar ideias, fornecer apoio, compartilhar desafios, medos, angústias e praticar empatia. As cerca de 40 duplas realizaram encontros semanais e o grupo todo reuniu-se quinzenalmente para discutir temas como empoderamento feminino e saúde mental. O grupo também compartilhou dicas de livros, apps e outros materiais.

“Este programa foi um presente para mim pois veio em um momento muito difícil, quando mudei completamente minha rotina – comecei a trabalhar em casa, cuidar dos meus filhos, ajudar nas atividades escolares, entre outras coisas”, disse Dorliane Silva, auxiliar administrativa na localidade de Juruti. “Foi através do programa que percebi que não estava sozinha. Encontrei o apoio emocional que precisava”.

Riane Oliveira, Business Partner de Recursos Humanos da Alumar, contribuiu: “apesar das distâncias e diferenças, meu par e eu tínhamos muitas coisas em comum. Isso nos ajudou a construir um forte vínculo de confiança desde o início. Foram momentos de acolhimento, apoio, conselhos e muito aprendizado.”

A margarida é considerada a flor da amizade, pois transmite o significado de pureza, paz de espírito, inocência, sensibilidade, amor, bondade e afeto. Ou seja, todos os sentimentos que envolvem uma verdadeira amizade e relação de cumplicidade e apoio. Por isso, a margarida tornou-se símbolo da nossa iniciativa.

Ação comunitária conquista Prêmio Liderança Feminina

>Saber mais...

A ação comunitária Menina-Mulher, promovida pela AWN (Rede de Mulheres Alcoa) de Poços de Caldas (MG), recebeu o Prêmio Liderança Feminina 2019 do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), na categoria Novas Líderes.

A iniciativa, executada desde 2009, contribui anualmente com o crescimento profissional e pessoal de 50 meninas do 9º ano do Ensino Fundamental. As estudantes são selecionadas por meio de um concurso de redação e assistem palestras com foco no crescimento pessoal e preparação para o mundo do trabalho. A ação conta com o apoio da Secretaria Municipal de Educação e da Superintendência Regional de Ensino, além de outras empresas locais.

Biodiversidade: Incentivando a restauração florestal na Amazônia

>Saber mais...

Visando criar valor compartilhado com as comunidades, a Alcoa atua em parceria com Juruti (PA) para promover a restauração florestal na Amazônia, com os programas: Unidades de Conservação: criação da REVIS do Lago Mole (653 ha.) e o Parque Jará (urbano) para proteger 5 mil ha; Restauração de áreas comunitárias com sistemas agroflorestais familiares lideradas por mulheres; Escola de Sustentabilidade para a formação de lideranças e instituições; e Investimento em projetos de biodiversidade com o Fundo Juruti. Prefeitura, Instituto Juruti, CI, IMAZON, WRI, Instituto Vitória Regia e dezenas de famílias participam das iniciativas.

No ciclo 2018-2019, foram investidos mais de R$ 3 MM, restaurados 30 ha de floresta, plantadas 34 mil mudas e capacitadas mais de 300 pessoas das comunidades, fomentando a conservação e uso sustentável da biodiversidade.

Semeando Vidas - São Paulo (SP)

>Saber mais...

Em São Paulo, em parceria com a Associação Corredor Ecológico do Vale do Paraíba (ACEVP), 820 mudas foram plantadas. As mudas nativas ajudarão na recomposição da Mata Atlântica, empregando técnicas agroflorestais, sempre que possível, para restaurar as funções florestais e apoiar os proprietários privados. O processo de restauração florestal deve ser integrado a aspectos sociais, econômicos, processos ambientais e culturais para que a floresta, uma vez formada e recuperada, faça parte das propriedades envolvidas e das comunidades que dela se beneficiarão, contribuindo com o empoderamento local.

As caras da restauração

>Saber mais...

A série As Caras da Restauração, composta por episódios em vídeo e reportagens, retrata cinco histórias de produtores familiares a grandes produtores em diferentes estados brasileiros. Em comum, todos têm a transformação de sua relação com a terra e o lucro advindo da floresta, que, quando aplicadas técnicas sustentáveis, pode ser maior do que a rentabilidade de atividades agropecuárias convencionais. Um dos episódios retrata a transformação da família Soares, agricultores do município de Juruti, que migraram da tradicional produção exclusiva de mandioca para um sistema agroflorestal. Foi uma das famílias beneficiadas pela Fase II da parceria WRI Brasil e Alcoa Foundation.

Fonte: https://bit.ly/familia-soares

Parcerias para cuidar das pessoas e da vida

>Saber mais...

Em 2020 a Alcoa, o Instituto Alcoa e a Alcoa Foundation empenharam esforços e recursos para o enfrentamento do coronavírus, mostrando senso de responsabilidade social e cooperação, não somente para com seus colaboradores, mas com as comunidades onde opera.

A Alumar (Consórcio de Alumínio do Maranhão) doou recursos que foram convertidos em testes para identificar a COVID-19, respiradores mecânicos e máscaras PFF2 para o Governo do Estado, destinados aos hospitais públicos do Estado do Maranhão e artigos de higiene como luvas cirúrgicas, álcool em gel e máscaras para a Polícia Militar. Também doou kits com alimentos que beneficiaram 100 famílias da comunidade de São Joaquim, juntamente com outras instituições da Rede de Ajuda Mútua (RAM), 200 kits alimentares básicos dentro da Associação Comercial do Maranhão - ACM Anjo Movimento e incentivou a costura de máscaras de tecido pela comunidade vizinha do Rio Grande. O Instituto Alcoa contribuiu com a doação de protetores faciais, respiradores N95, óculos de proteção descartável e termômetros infravermelho para a Fundação Sousândrade de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Federal do Maranhão. As doações da Alcoa Foundation somaram mais de R$500 mil para o Fundo Municipal de Saúde de São Luís, para compra de equipamentos e mobiliário para adequação do Hospital da Mulher como Hospital de Campanha, e também para o projeto Avança Maranhão, desenvolvido pela Associação Comercial do Maranhão e FIEMA – Federação das Indústrias do Maranhão.

Em Juruti, a Alcoa, o Instituto Alcoa e a Alcoa Foundation doaram artigos médicos e hospitalares, tais como reanimadores pulmonar (adulto e infantil), desfibriladores, camas hospitalares, equipamento de hemodiálise, máscaras, macacões, cilindros de oxigênio e outros equipamentos de proteção individual (EPI), além de kits de teste para identificação da doença para o Hospital Municipal e o Hospital 9 de Abril. A Alcoa também viabilizou a contratação de profissionais da saúde para o atendimento da recém-implantada UTI no Hospital 9 de Abril. Ademais, realizou a doação de recursos para o Projeto Diagnostico Molecular do COVID-19 desenvolvido pela Universidade Federal do Oeste do Pará-UFOPA em Santarém para apoio nas ações da região do Baixo Amazonas. Em parceria com o Instituto Juruti Sustentável foram distribuídas 1.487 cestas básicas para famílias em situação de insegurança alimentar.

Em Poços de Caldas, a Alcoa montou 40 leitos de isolamento, comprou monitores para equipar 10 leitos de UTI e milhares de equipamentos de proteção individual (EPI) à Santa Casa e ao Hospital de Campanha de Poços de Caldas, além de EPIs para a Santa Casa de Andradas. Além da doação de equipamentos elétricos, respirador, bomba de infusão e cabeamento para modernização elétrica da Santa Casa de Poços de Caldas, assim como apoio cultural para veiculação de teleaulas no município.

10 anos de desenvolvimento compartilhado em Juruti

>Saber mais...

Em 2019 a Alcoa completou dez anos do projeto inovador de mineração na Amazônia Brasileira, integrado à comunidade, implementando elevados padrões de cuidados com o meio ambiente e segurança nas operações.

A Alcoa começou suas operações com capacidade produtiva anual de 2,6 milhões de toneladas de bauxita e atualmente opera com capacidade para 7,5 milhões de toneladas de minério de alta qualidade em Juruti.

A mina já gerou mais de 50 milhões de toneladas de minério de bauxita de alta qualidade produzidas e embarcadas. Isso injetou na economia paraense mais de R$ 700 milhões em pagamentos de compensações e R$ 120 milhões em investimentos voluntários. A excelência das operações também agrega a valorização da diversidade e da mão de obra local: 83% dos colaboradores são paraenses, com forte presença de mulheres e de jurutienses.

Parceria pelas Arvores (Partnership for Trees)

>Saber mais...

A Alcoa globalmente, por meio de uma parceria entre a American Forest e a Alcoa Foundation, desafiou-se a plantar centenas de milhares de espécies de árvores nativas em locais danificados e degradados ao redor do mundo, envolvendo comunidades locais na restauração de ecossistemas florestais. O programa, denominado Partnership for Trees, segue a meta da Alcoa de plantar 10 milhões de árvores até 2020 e apoia a missão da American Forests de proteger e restaurar florestas. Todas as mudas plantadas devem ser de espécies nativas de cada região. Desde 2016, foram plantadas mais de 80 mil mudas de árvores nativas, contando com engajamento das comunidades onde a Alcoa tem operação no Brasil.

Locomotiva Verde – Juruti (PA)

>Saber mais...

A Mina de Juruti conta com o projeto Locomotiva Verde que visa mitigar as emissões de CO2, gerado pela operação das locomotivas, por meio do plantio de mudas em áreas degradadas. Desde o início, já foram plantadas mais de 70 mil mudas nativas, gerando R$ 175 mil para a comunidade, com a participação em 40 projetos comunitários e restauração de 42 hectares, neutralizando 11.200 toneladas de CO2. A iniciativa permite desenvolver ações de proteção ambiental e de educação, lideradas por comunidades e poder público, junto com voluntários da Alcoa.

Check-up emocional – Sintomas monitorados: Depressão, estresse e traumas, isolamento e ansiedade

Foco na saúde mental

>Saber mais...

Quando o e-mail institucional oferecendo o checkup emocional durante a pandemia foi recebido por um funcionario da nossa mina de Juruti , ele hesitou.

“Abri e fechei o e-mail três vezes”, disse ele. “Como muitas pessoas, eu pensei que os psicólogos e psiquiatras eram para pessoas com doença mental grave. Isso sempre foi uma barreira que tornava difícil para mim pedir ajuda.”

Problemas pessoais aumentaram seu sentimento de solidão durante o isolamento imposto pela pandemia, e segundo ele, sua saúde mental começou a piorar.

Reconhecendo que muitas pessoas podem estar enfrentando situações de sofrimento, nossas operações no Brasil enviaram por e-mail um breve questionário voluntário para seus funcionários e funcionárias em outubro de 2020 para autoavaliar sua saúde mental. A ferramenta online focou em identificar sentimentos de solidão, ansiedade, depressão e estresse, e também forneceu opções para procurar ajuda. Se as respostas identificassem mudanças ou problemas significativos, os profissionais de saúde locais contatavam os colaboradores diretamente para oferecer assistência.

“Assim que eu terminei o questionário, eu recebi uma resposta da equipe médica da Alcoa”, disse o funcionario. “Fui atendido por profissionais excelentes, muito éticos, e em nenhum momento me senti exposto ou constrangido. Depois de algumas consultas, comecei a me sentir melhor. Hoje, vejo que precisamos cuidar de nossa saúde mental como fazemos com qualquer parte de nosso corpo. Eu também aprendi que, com a ajuda de bons profissionais, é mais fácil tratar e resolver os nossos problemas. Agradeço à Alcoa por fornecer um programa tão bom.”

Ele acrescentou: “Percebi que contar minha história pode ajudar outras pessoas a sair do fundo do poço e tomar a iniciativa de buscar ajuda. Decidi transformar o que estava vivendo em música. Assim como recebi ajuda, quero ajudar outras pessoas também.”

(Esta música foi composta por nosso funcionário)

Eu preciso do seu amor

É tão difícil suportar / Mas eu sei que você não vai me deixar / Não tenho sentido / e quase desisti da vida / Eu só sinto vontade de chorar / É tão difícil continuar / Mas sei que tudo vai passar / Essa dor me sufocou / e me deixou sem saída / Sinto-me impotente para lutar / Mas Deus, você é meu pai / Por favor, venha me ajudar / Me carregue no seu colo, me faça descansar / Eu não aguento mais essa dor no peito / Por favor, venha me apoiar / Eu preciso do seu amor, venha e me abrace. / É tão difícil continuar / Mas sei que tudo vai passar / Essa dor me sufocou e me deixou sem saída / Sinto-me impotente para lutar.

Feirinha da Gente: sempre perto da comunidade

>Saber mais...

O projeto Feirinha da Gente, da ALUMAR, em São Luís (MA), mobiliza produtores locais em projeto inovador de venda de produtos hortifrutigranjeiros e de artesanatos, promovendo inclusão social, sustentabilidade e distribuição de renda por meio da economia solidária.

Para o gerente da Refinaria, Giuliano Siqueira, o projeto é uma oportunidade de estreitar cada vez mais a relação entre empresa e comunidade. “São nossos vizinhos, muitos deles com parentes trabalhando na fábrica. Então, é uma excelente e saudável oportunidade de nos conhecermos ainda mais, uma vez que já atuamos em diversos projetos nas comunidades”, afirma.

Lago Jará é Área de Proteção Ambiental

>Saber mais...

A Área de Proteção Ambiental (APA) Jará, criada em 2019, estabelece regras de conservação no principal manancial da zona urbana de Juruti (PA), o Lago Jará. Em parceria com o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), apoio da Prefeitura Municipal de Juruti e Alcoa Foundation, foram realizados os estudos de viabilidade para a criação da APA. O Conselho da APA foi criado e agora o foco dos trabalhos é o desenho do Plano de Manejo da área.

Em 2014, a Alcoa também apoiou a criação da Reserva Extrativista de Vida Silvestre (Revis) Lago Mole, região considerada berçário da fauna e da flora do município de Juruti e dos arredores.

A criação de unidades de conservação ambiental integra a estratégia de apoio e valorização da biodiversidade nas localidades onde a Alcoa atua.

Floresta de Bolso - Poços de Caldas (MG)

>Saber mais...

Implantado pela Associação Poços Sustentável (APS), o projeto Floresta de Bolso I plantou, em 2017, 250 mudas de árvores em uma área do Santa Ângela, que atenderá os moradores deste bairro e adjacentes. Junto foi implantado um Parque Linear às margens do Ribeirão Vai e Volta, que corta a cidade, contribuindo com o aumento da capacidade de infiltração das águas de chuva, minimizando o risco de enchentes, além de proteger o recurso hídrico contra processos erosivos. Em 2019 nasceu a segunda Floresta, com o plantio de cem mudas no Jardim Kennedy II e a previsão é que mais um plantio seja feito, também na Zona Sul da cidade.

Economia Circular: Aumento da reciclagem de alumínio na cadeia de valor

>Saber mais...

Aumentar a proporção de material reciclado na produção de tarugos de alumínio, reduzindo a geração de resíduos na cadeia de valor, emissões de GEEs (Gases do Efeito Estufa), custos de produção e valor do tarugo ao cliente é o principal negócio da fábrica de casting de Poços de Caldas.

Com base nos princípios da Economia Circular e Ecologia Industrial, recicla-se a sucata de alumínio dos clientes. Como resultado, entre 2015 e 2018, o uso da sucata de alumínio aumentou de 14% (3.660 MT) para 35% (9.569 MT), os custos de produção foram reduzidos em mais de R$ 2 milhões/ano e as emissões de GEEs são aproximadamente 30% menores se comparadas com o processo de produção de alumínio primário convencional. Essa iniciativa, integrada ao modelo de negócios da empresa, potencializa a geração de valor para a Alcoa, para as empresas da cadeia de valor e sociedade como um todo.