22 de fevereiro de 2021

“Precisamos de muitos parceiros para que possamos ampliar o atendimento aos estudantes”


Conheça a história de Maria de Jesus Gaspar Leite, que acompanha o trabalho do Instituto desde o início dos anos 2000.

Cópia de prof Maria de Jesus - histórias que inspiram fevereiro 3 (1)

Mensalmente, o Histórias que Inspiram retrata as histórias de vida de colaboradores, voluntários, representantes de organizações beneficiadas, líderes comunitários e outros atores fundamentais que se conectam com a trajetória do Instituto e a fazem ainda mais especial.

Na edição de fevereiro, conheça a história de Maria de Jesus Gaspar Leite, ex-secretária adjunta da Secretaria Municipal de Educação (Semed) de São Luís, no Maranhão, e atual professora de suporte pedagógico da Rede Municipal de Educação do município.

Atuante na Rede Municipal de Educação de São Luís, Maranhão, desde 1989, Maria de Jesus Gaspar Leite, a Juju, tem muito a dizer sobre a presença do Instituto Alcoa no município. Seu primeiro contato com uma ação do Instituto foi no começo dos anos 2000, quando a instituição, em parceria com a Prefeitura de São Luís, construiu a Escola Casa Familiar Rural (ECR), que além de formar os estudantes, também visava o aprimoramento de técnicas de produção de alimentos, da agricultura e a criação de animais. 

Ela passou a acompanhar mais de perto a trajetória do IA quando, sob o cargo de superintendente do ensino fundamental da rede municipal, teve contato com o programa ECOA.

“Desenvolvemos todo um trabalho de formação e conscientização ecológica junto a estudantes e professores. Acreditamos que a educação é realmente complexa e precisamos de muitos parceiros para que possamos ampliar o atendimento aos estudantes, tanto na questão quantitativa como qualitativa”, ressalta.

No que se refere à melhoria qualitativa da educação, Juju cita o trabalho com aspectos mais atuais da educação, como a questão da sustentabilidade. Apesar de a Semed já ter um núcleo de educação ambiental, o trabalho do ECOA possibilitou o desenvolvimento da consciência ecológica entre os estudantes, principalmente entre alunos dos anos iniciais do ensino fundamental. 

“Uma das propostas desenvolvidas foi um projeto onde os estudantes conheciam o entorno da escola. Isso foi super importante porque, a partir do momento em que faziam pesquisas na região, os alunos descobriram potencialidades da comunidade e pontos que precisavam ser tratados de maneira especial. Estudar a realidade do local foi muito bacana e, além de trazer a comunidade para a escola, permitiu desenvolver um projeto para melhorar as condições da comunidade como um todo.” 

 

Aprendizados

Essa trajetória rendeu aprendizados para sua vida pessoal e profissional. Os momentos de encerramento dos projetos, ao final do ano, são recordados com muito carinho pela professora, que ressalta a riqueza do que as escolas desenvolveram. 

Para Juju, é importante ver a Alumar - Consórcio de Alumínio do Maranhão composto pela Alcoa, entre outras empresas - não apenas como uma empresa que propicia desenvolvimento para o estado do Maranhão, mas também que se preocupa com questões relacionadas à formação da mão de obra, trabalho e renda e compromisso com a comunidade como um todo. 

“O legado do Instituto Alcoa na região tem sido de melhoria das condições de vida da população. Com o programa ECOA, conseguimos ampliar o conhecimento sobre a natureza e sobre o entorno da escola. As pesquisas sobre as potencialidades e os limites da comunidade deram significado para a aprendizagem nos diversos componentes curriculares porque não foi algo voltado exclusivamente ao trabalho com os temas de sustentabilidade, mas que envolveu o processo de aprendizagem em outras disciplinas, como Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, História. Deu sentido ao processo de aprendizagem como um todo”, completa. 

 

Apoio à gestão pública

Em 2020, o programa Ecoa inaugurou um novo formato de interação com as localidades atendidas, abrindo duas novas frentes de atuação: Ecoa Formação (capacitação dos educadores das escolas participantes) e Ecoa Gestão (capacitação das equipes das secretarias de educação e coordenadores pedagógicos nos três municípios atendidos).

Diante da pandemia da Covid-19, a iniciativa precisou ser reformulada para oferecer às secretarias municipais apoio no planejamento de ações urgentes e específicas para cada localidade.

Para a professora, a mudança foi importante pela possibilidade de avaliar e se aproximar daquilo que a realidade está exigindo da educação contemporânea.

“Com apoio de instituições importantes no desenvolvimento dessas duas frentes, como a  Interação Urbana e o CENPEC [parceiros do Instituto Alcoa na iniciativa], tivemos momentos de discussão e aprendizagem sobre os problemas das escolas, além de poder avaliar a realidade da educação municipal como um todo e propor um plano”, afirma Juju.