30 de novembro de 2020

Programa Ecoa Formação promove encontro online de avaliação do Ideb e Saeb com especialista em Educação


Captura de tela da leitura dos dados do Ideb

No mês de novembro, o Instituto Alcoa em parceria com o Cenpec realizou um encontro online, promovido pelo Programa Ecoa Formação, para a reflexão sobre os dados do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) e Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica) com educadores e corpo técnico das Secretarias Municipais de Educação nas três localidades atendidas pelo Instituto: Juruti (PA), Poços de Caldas (MG) e São Luís (MA). 

A mediação e análise dos dados foi realizada pelo professor Ocimar Munhoz Alavarse, professor da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), pesquisador da área de avaliação educacional e consultor do Ecoa Formação. 

De acordo com o especialista, é possível afirmar que a Educação nacional está evoluindo, porém em ritmos diferenciados nos anos iniciais e finais, com relação ao ensino fundamental e médio. O especialista trouxe a ressalva de que o Ideb é um medidor resumido do  desempenho de alunos em Português e Matemática e fluxo escolar no período de nove anos. “Apesar das limitações dessa medida, ela traz um dado fundamental que é o que os alunos estão conseguindo reter de Português e Matemática, além da presença em sala de aula. Vale lembrar que o Brasil tem um dos maiores índices de reprovação do mundo”. Característica que, de acordo com o professor, interfere nos números sobre a evasão escolar do índice. 

Alavarse indica que o mais “rico” em relação ao medidor é olhar os resultados das escolas comparando-os com a meta estipulada pelas mesmas. “Na rede municipal de São Luís, tivemos escolas com metas variando entre 2,6 a 4,8. O resultado total mostrou que o conjunto da rede ficou abaixo da meta, mas por quê? As metas são verídicas para todas as escolas? Não. É preciso ver os números de maneira isolada.”  

As metas variam de acordo com a realidade socioeconômica, trazendo um panorama das desigualdades educacionais e de que forma as escolas estão evoluindo, conforme seus recursos.  

De acordo com Solange Feitosa Reis, coordenadora de projetos do Cenpec, os encontros com as localidades sobre dados do Saeb são estruturados de acordo com as dúvidas de coordenadores e professores de cada uma das localidades. 

“É o momento que os profissionais se debruçam sobre os dados para formular as dúvidas. Dessa forma, conseguimos aproximar a leitura dos índices para os educadores e gestores educacionais e realizar uma apresentação encaixada com as dúvidas do público.”

As médias de desempenho dos estudantes nas provas padronizadas de Português e Matemática, apuradas pelo Saeb, juntamente com as taxas de aprovação, reprovação e abandono, apuradas no Censo Escolar, compõem o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

O Ideb é realizado a cada dois anos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Ministério da Educação (MEC). Os números mais recentes deste marcador foram divulgados no dia 15 de outubro de 2020. 

A análise profunda dos indicadores educacionais orientam a atuação do Instituto Alcoa no campo da Educação nas três realidades distintas (Minas Gerais, Maranhão e Pará) das localidades atendidas pelo Instituto Alcoa.