20 de agosto de 2020

“Se tem uma coisa que todo mundo pode doar é seu tempo”


Conheça a história de Sergio, ex-funcionário da Alcoa que teve sua vida pessoal e profissional transformada pela experiência do voluntariado.

Foto_Sergio_3x4

Este ano, o “Histórias que Inspiram” é marcado pelo aniversário de 30 anos do Instituto Alcoa. São histórias de vida de colaboradores, voluntários, representantes de organizações beneficiadas, líderes comunitários e outros atores fundamentais que se conectam com a trajetória do Instituto e a fazem ainda mais especial.

Na edição de agosto, conheça a história de Sergio Degang, ex-funcionário da Alcoa, cujo engajamento cidadão foi despertado pelas ações voluntárias organizadas pela empresa e que se tornou parte fundamental de sua vida até hoje.

Personagem: Sergio Degang, ex-funcionário da Alcoa e atual coordenador de Captação de Recursos e Desenvolvimento Institucional do GRAAC

A carreira profissional de Sergio Degang nasceu dentro da Alcoa. Ainda antes de se graduar em Arquitetura e Urbanismo, o paulista ingressou na empresa como desenhista no departamento de engenharia de desenvolvimento de produtos e marketing, em São Paulo.

“Entrei na Alcoa muito jovem, com 20 anos, e foi uma grande experiência na minha vida. Uma empresa com uma estrutura de recursos humanos, avaliação de desempenho e responsabilidade social muito forte. Não é algo da boca para fora, mas muito bem praticado”, conta.

Sergio lembra que a avaliação de desempenho valorizava bastante como o funcionário se relacionava com a comunidade. Foi então que o profissional começou a se envolver em algumas atividades, como o Programa de Qualidade de Vida voltado aos funcionários e com os projetos do grupo de ações comunitárias da unidade. Foi dessa forma que ele começou a se relacionar mais de perto com as ações do Instituto Alcoa.

“Essa valorização abria muitas oportunidades e gerou meu primeiro contato com o universo do trabalho comunitário e social. Eu nunca tinha tido esse estímulo e descobri na Alcoa essa vocação.”

Para Sergio, o trabalho voluntário é uma oportunidade de crescimento em muitos sentidos. “O voluntariado corporativo não só melhora as relações dentro do ambiente do trabalho como te transforma como pessoa. Abre sua cabeça e te mostra que o mundo não gira em torno do seu umbigo. E eu costumo dizer que se tem uma coisa que todo mundo pode doar é seu tempo”, observa.

Voluntariado

WhatsApp Image 2020-08-20 at 14.51.30Sergio participou de inúmeros projetos do Instituto Alcoa como voluntário. De visitas a orfanatos, creches e asilos até a elaboração de projetos estruturais para algumas dessas entidades.

“Lembro de um projeto que fizemos para a Casa Madre Teodora dos Idosos, localizado próximo ao Centro Empresarial em São Paulo, onde eu trabalhava. Durante as visitas à entidade, descobrimos que faltava água no asilo e no bairro e eles tinham uma caixa d’água com 250 litros apenas. Contribuí com o desenho de um projeto para a construção de um reservatório de água subterrâneo que foi apoiada pelo Instituto Alcoa e pela Alcoa Foundation e depois acompanhei a obra e a entrega do reservatório. Em outro momento, ainda ampliamos a capacidade do asilo com a construção de um segundo andar no imóvel”, recorda.

WhatsApp Image 2020-08-20 at 14.51.29Com a competência de projetista, Sergio participou ainda de outras iniciativas, como a construção de uma mini fazenda no terreno da na Fundação Julita, entidade que atende crianças, jovens e famílias em situação de vulnerabilidade social na zona sul de São Paulo. “O projeto contribuiu com a geração de renda da instituição e com a melhoria da alimentação oferecida às crianças”, conta Sergio.

Parceria com GRAACC

Hoje em dia, Sergio trabalha na área de Desenvolvimento Institucional do Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (GRAACC), como coordenador de captação de recursos. O encontro do ex-desenhista com a instituição filantrópica dedicada ao tratamento do câncer infantil no Brasil também é outro fruto da relação de Sérgio com o trabalho social iniciado na Alcoa.

“A filha de um funcionário da Alcoa foi paciente do doutor Petrilli [um dos fundadores do GRAACC]. Por conta dessa relação, fomos visitar o GRAACC e foi paixão à primeira vista”, conta o voluntário.

Essa primeira visita deu início a uma sólida relação entre o Instituto Alcoa a instituição de saúde. Entre as atividades oriundas da parceria estão desde participações na campanha McDia Feliz, cuja renda é revertida ao GRAACC, e na tradicional corrida de rua da instituição, até o apoio do IA e da AF à infraestrutura do hospital.

No caso do McDia Feliz, além de mobilizar o recurso dos funcionários para a compra dos lanches que seria revertida ao GRAACC, Sergio ainda organizava com um orfanato local uma excursão para levar as crianças ao restaurante.

“Podíamos simplesmente entregar os sanduíches às crianças no orfanato, mas eu pensava grande. Comprava o ticket do sanduíche, boné e camiseta da campanha, reservava a área restrita do restaurante, alugava ônibus, colocava os voluntários e as crianças dentro e as levávamos para comer e brincar a manhã inteira”, recorda.

Novos horizontes

Sergio passou a ser voluntário regular do GRAACC, para além da relação corporativa como funcionário da Alcoa, assumindo um plantão do hospital e organizando visitas monitoradas, além de ajudar a organizar a campanha McDia Feliz e outros eventos da instituição.

O desenhista deixou o cargo na Alcoa e viu na mudança uma oportunidade de redirecionar o curso de sua trajetória profissional. Passou a focar no terceiro setor, buscando especialização e participando de congressos, seminários e cursos na área. Após passar por algumas instituições do setor, o profissional foi convidado para trabalhar no GRAACC.

“No início, para mim era inconcebível trabalhar no GRAACC. Na minha cabeça, como voluntário, eu tinha que ajudar a levar recursos para a instituição e não tirar recurso de lá assumindo um trabalho remunerado”, lembra.

Após a insistência da instituição, Sergio aceitou o convite e, há quase 20 anos ajuda o Hospital a alcançar os recursos financeiros de que precisa mensalmente para seguir atuando na missão de oferecer tratamento ao câncer infantil.

“Trabalhar com uma causa é todos os dias lembrar que há pessoas dependendo do seu trabalho”, observa.

_DSC5514Sergio conta que seu vínculo com o Instituto Alcoa se mantém até hoje, agora de um lugar diferente. “Hoje, eu apresento os projetos e busco o apoio do IA, que tem sido um parceiro relevante”, comemora.

Um dos primeiros projetos apresentados ao IA por Sergio foi a criação da agência transfusional do GRAACC, que realiza exames imuno-hematológicos pré-transfusionais e gerencia a utilização dos hemocomponentes para os pacientes. O Instituto foi parceiro ainda na construção do novo anexo do Hospital.

“Além disso, na Alcoa existe uma prática de reconhecimento em que quando um presidente ou conselheiro do Instituto Alcoa se aposenta, ele pode escolher uma instituição para receber uma doação. É como um rito de passagem. E quando o Franklin [Feder, ex-presidente da Alcoa para a América Latina] se aposentou, ele escolheu o GRAACC.  Este ano foi o Carlos Eduardo Mahfuz, ex-diretor jurídico que também escolheu o GRAACC. Para mim, é muito emocionante saber que fiz parte da construção desse vínculo e parceria que se mantém até hoje.”