28 de fevereiro de 2020

Duas décadas percorrendo o país e contribuindo para a transformação das pessoas e comunidades


IMG_4884

Uma nova edição do “Histórias que Inspiram” chega como mais uma forma de celebrar os 30 anos do Instituto Alcoa. Ao longo das próximas edições do Radar, traremos a história de funcionários, voluntários, representantes de organizações beneficiadas, líderes comunitários e outros atores fundamentais. São histórias de vida que se cruzam com a trajetória do Instituto Alcoa.

Nesta edição, confira a história de Carlos Eduardo Mahfuz, que por mais de 20 anos contribuiu como Conselheiro do Instituto Alcoa em estratégias de atuação do IA nos territórios e como voluntário.

Personagem: Carlos Eduardo Mahfuz, Conselheiro do Instituto Alcoa que se aposentou no início deste ano

Boa parte da vida de Carlos Eduardo Mahfuz se cruza com a trajetória da Alcoa e de seu Instituto. São 35 anos como advogado da empresa e 20 como conselheiro do Instituto Alcoa.

Eleito conselheiro em 2000, o advogado esteve presente em momentos importantes de convergência estratégica. Em 2010, ao completar 20 anos, o IA realizou uma jornadaque culminou em nova missão, valores e diretrizes. “Foi nesse momento que nasceu o Programa ECOA, que até hoje é uma das principais iniciativas do Instituto”, recorda.

Às vésperas de completar 30 anos, em 2018, o Instituto iniciou uma nova jornada, que envolveu mais de 120 stakeholders e estabeleceu aatual estratégia com foco em educação e geração de trabalho e renda. Mais uma vez, Mahfuz acompanhou de perto todo o processo. Para ele, ambos os momentos foram essenciais para que o Instituto esteja hoje onde está.

“Esses dois momentos significaram um amadurecimento enorme ao potencial de atuação do IA. Os valoresaportados e o foco em áreas temáticastrouxe um ganho também para a capacidade do Instituto de mensurar o impacto de seus investimentos e ações”, observa.

O advogado comemora ainda a oportunidade de percorrer o país e o legado dessa atuação na vida de inúmeras pessoas de diversas comunidades, além da transformação gerada em sua própria vida.

“Visitando os projetos e as comunidades, pude ter uma visão ampla das diversidades que marcam o nosso país e essa oportunidade me tornou um cidadão melhor. Além disso, os conselhos comunitários e as lideranças e equipes dos territórios nos ajudam a enxergar as necessidades específicas de cada localidade e isso tem sido fundamental para tornar a atuação do Instituto mais assertiva.”

Mahfuz também esteve envolvido em diversas ações de voluntariado promovidas pelo Instituto, outra das grandes marcas da instituição. Aposentado desde o início deste ano, o ex-conselheiro comemora a oportunidade de envolver sua família e amigos nessas atividades e ressalta como isso mudou sua visão de mundo.

“Hoje, já fora do Instituto, eu penso na possibilidade de desenvolver um projeto pessoal que me proporcione continuar contribuindo com a transformação da sociedade. E vejo essa vontade como um legado que levo da minha trajetória no Instituto.”