19 de dezembro de 2019

Programa ECOA ganha novo formato em 2020


Para enfrentar de forma mais efetiva os desafios educacionais dos territórios em que atua, iniciativa ganhará ênfase nas disciplinas de Português e Matemática e reforço em gestão.

D5ab75d4-e51a-4c9c-af54-f25547e6e352

O processo de diagnóstico e planejamento realizado pelo Instituto Alcoa em 2018, motivado pela decisão de ampliar o impacto positivo nas comunidades em que atua, levou a instituição a reformular uma de suas principais iniciativas: o Programa ECOA.

Sendo a educação uma de suas frentes de atuação a partir deste ano – junto com geração de trabalho e renda e engajamento comunitário – a teoria de mudança do Instituto o levou a focar energias e investimentos em iniciativas que visem ampliar o acesso à educação de qualidade, com foco no Ensino Fundamental.

Nesse contexto, dar mais ênfase a disciplinas como Português e Matemática foi a escolha do Instituto frente aos desafios educacionais dos territórios em que atua – Juruti (PA), Poços de Caldas (MG) e São Luís (MA) –, demonstrados por indicadores como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

A reformulação do Programa prevê ainda uma frente de trabalho em gestão com as secretarias dos três municípios e dez unidades escolares de cada território.

Fausto Cruz, presidente do Instituto Alcoa, reforça o compromisso da instituição em promover uma sociedade mais inclusiva, participativa, responsável e igualitária.

“Acreditamos que a educação seja a base para a transformação da sociedade, contribuindo para a formação de cidadãos conscientes de seu papel e responsabilidades. O ECOA apresentou resultados expressivos nos últimos seis anos que nos motivam a aprimorar essa iniciativa, que vem promovendo transformações em toda a comunidade escolar.”

Desafios educacionais

O Ideb permite o acompanhamento das metas de qualidade do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) para a Educação Básica.

O instrumento estabelece que, em 2022, o Ideb do Brasil seja 6,0 - média que corresponde a um sistema educacional de qualidade comparável ao dos países desenvolvidos. Na última avaliação, em 2017, o Ideb dos anos iniciais do Ensino Fundamental cresceu - chegou a 5,5 -, mas não alcançou a meta de 6,0. Já o Ideb dos anos finais do Ensino Fundamental ficou em 4,4.

Poços de Caldas atingiu a meta projetada para o território nos anos iniciais do Ensino Fundamental, com um Ideb de 6,3, mas não para os anos finais, com 5,0.

Juruti, por sua vez, apresentou um Ideb de 4,7 para os anos iniciais do Ensino Fundamental e 4,1 para os anos finais do Ensino Fundamental.

São Luís não atingiu as metas projetadas para o território, apresentando um Ideb de 4,7 para os anos iniciais do Ensino Fundamental e 4,1 para os anos finais.

Novo ECOA

A partir do próximo ano, portanto, o Programa ECOA inaugura um novo formato, com duas frentes: formação e gestão.

Na frente de formação, o Programa atuará na capacitação dos educadores das escolas participantes da iniciativa nas disciplinas de Português e Matemática. O desenho do programa de formação está a cargo do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC).

Já na frente de gestão, a iniciativa atuará junto às equipes das secretarias de educação dos três municípios e aos gestores escolares e coordenadores pedagógicos de dez unidades escolares em cada território. O parceiro técnico nessa frente é a empresa Interação Urbana.

A ação será estruturada com base em um diagnóstico acerca das características e necessidades de cada um dos territórios. Esse trabalho está sendo realizado pelo CENPEC. Recentemente, a organização acompanhou visitas realizadas às secretarias dos três municípios para aprovação da nova diretriz do Programa.

Esse diagnóstico também será a base do trabalho da Interação Urbana no desenho da estratégia de capacitação dos gestores públicos e escolares, prevista para ter início em fevereiro de 2020. Já o programa de formação deve acontecer a partir de abril do próximo ano.

“Como há necessidades e desafios distintos em cada município, pode ser que em São Luís, por exemplo, seja necessário um reforço da capacitação em Matemática para os anos iniciais do Ensino Fundamental, enquanto em Juruti, o desafio seja maior em Português nos anos finais. Por isso, todo o trabalho de diagnóstico será fundamental para sermos assertivos e conseguirmos resultados eficazes e efetivos”, observa Monica Espadaro, gerente de projetos do Instituto Alcoa e coordenadora do Programa ECOA.

Territórios celebram resultados em 2019

Para celebrar o encerramento do ciclo 2019 do Programa ECOA, o Instituto Alcoa, a Evoluir – parceira do Instituto no Programa até este ano – e a secretaria de educação de cada um dos três municípios participantes da iniciativa promoveram ações especiais para alunos e educadores.

Realizados em Poços de Caldas, São Luís e Juruti, nos dias 22 e 27 de novembro e 10 de dezembro, respectivamente, os eventos contemplaram oficinas, feiras de projetos, apresentações artísticas e culturais, debates, entre outras atividades.

Iniciado em 2014, o ECOA já contabiliza a participação de 49 escolas, mais de 58 mil estudantes e 733 professores, realizando mais de 290 projetos, tais como hortas, bibliotecas comunitárias, parquinhos, mutirões de limpeza e campanhas públicas de conscientização ambiental.