15 de outubro de 2019

Programa ECOA inspira novas práticas e reacende o sonho de educadores


Iniciativa do Instituto Alcoa realizada pela Evoluir - Educação Transformadora em parceria com Secretarias Municipais de Educação amplia perspectivas educacionais para além da sala de aula.

Programa ECOA_EM Rosa de Saron
Fortalecer o diálogo entre educação e transformação social por meio de ações em que educadores, alunos e comunidades assumem o protagonismo é a premissa que rege o programa ECOA, iniciativa do Instituto Alcoa realizada com o apoio da Evoluir - Educação Transformadora em parceria com as Secretarias Municipais de Educação. O programa visa dar suporte a projetos sustentáveis criados por comunidades locais a partir da capacitação de educadores e acompanhamento constante de suas atividades. O professor, nesse contexto, assume papel importante na geração de uma atmosfera inclusiva e potente.

De acordo com a coordenadora do programa pela Evoluir, Marina Queiroz, os resultados positivos nas três cidades em que atua - Juruti (PA), Poços de Caldas (MG) e São Luís (MA) - devem-se à preocupação com o engajamento constante dos professores “É fundamental ter em mente que o sucesso da educação passa pelo educador. Por meio de suas práticas inovadoras, o ECOA permite que os educadores, em conjunto com os alunos, se tornem protagonistas das mudanças de que a comunidade necessita”.

O educador, no papel de guia do trabalho promovido pelo ECOA, traz à tona suas experiências, expectativas e habilidades para uma ação conjunta junto a seus aprendizes. Em seu sexto ano, o programa acumula histórias inspiradoras de professores que, às suas formas e com o suporte das orientações pedagógicas regulares, tiveram suas trajetórias modificadas para melhor.

Juruti

Em Juruti, no Pará, o professor de língua portuguesa Francisco Jorge dos Santos Carvalho é um dos educadores engajados nas ações do ECOA. Apaixonado e ciente dos benefícios da leitura, Carvalho busca inserir a atividade no dia a dia de seus alunos. Seus 31 anos de magistério são renovados por ações propostas no programa, que também o ajudam na realização de seu sonho: que a alfabetização de qualidade chegue a todos. De acordo com o professor, a proposta do ECOA o leva a adquirir bagagem no trabalho diário com as individualidades e habilidades socioemocionais de seus alunos.

“Eu transfiro todo conhecimento adquirido nas formações do programa para as minhas aulas e ações extracurriculares. Uma das coisas que aprendi na prática é que cada criança é um mundo diferente e, por isso, temos que saber lidar com as diversidades e com as diferentes formas de assimilação da informação educacional.”

Motivado, ele realiza todos os anos um projeto de literatura que se transforma em um sarau literário organizado em torno de produções dos estudantes sob sua orientação. O evento caracteriza-se por sua atmosfera de alegria e celebração em uma festa que envolve familiares, amigos e muita poesia.

Poços de Caldas

Erica Viviani de Melo Silva Ferreira e Maria Helena de Lima são educadoras na cidade mineira de Poços de Caldas. Ambas avaliam que o programa lhes proporciona uma nova perspectiva de atuação profissional a partir da quebra de paradigmas e da renovação de conceitos educacionais.

“Participar do ECOA levanta possibilidades e nos tira da acomodação. É como voltar a sonhar tanto tempo após o término da faculdade por meio da percepção de que precisamos mudar nossas atitudes para encorajar nossos alunos, ajudando-os a plantar uma sementinha de bons frutos para seu desenvolvimento como seres humanos”, afirma Maria Helena.

Erica também vê no programa a oportunidade de realizar ações mais significativas em acordo com os valores que ela estipulou para o desenvolvimento de sua carreira. “Fazer do aluno protagonista da sua aprendizagem, envolvendo também a comunidade nas ações da escola, nos ajuda a estabelecer relações de qualidade pautadas em valores como respeito, empatia, solidariedade e responsabilidade, entre outros. Isso faz toda a diferença no cotidiano escolar”, diz.

São Luís

Natural do Piauí e estabelecida como cidadã maranhense, a professora Adriana Loiola, que leciona na Escola Antoninho Baldez, na zona rural de São Luís, é uma verdadeira guardiã de sua profissão. Envolvida com educação desde os 14 anos de idade, Adriana alcançou a profissionalização após estudos na Universidade Federal do Piauí e, em sua luta por oportunidades na área, foi selecionada em concurso no estado vizinho.

Em um primeiro momento, entretanto, encontrou dificuldades quanto à infraestrutura encontrada à época, além do estranhamento ao sistema de turmas “multisseriadas” e distância para o centro urbano. O ECOA, nesse cenário, é apontado pela docente com um divisor de águas. “A Antoninho Baldez ainda não tinha tanta clareza sobre como trabalhar a metodologia de projetos de forma estruturada, algo que nos foi apresentado pelo programa. Hoje, nossa escola tem autonomia para escrever e executar projetos extraescolares voltados à família, ao meio ambiente, à comunidade e, sobretudo, ao protagonismo do aluno.”

Para Monica Renata Espadaro, gerente de projetos do Instituto Alcoa, os educadores influeciam diretamente na formação dos estudantes como cidadãos e o Programa ECOA busca contribuir nesse processo, aplicando práticas inovadoras e proporcionando um olhar mais amplo, crítico e participativo. “Ao longo dos seis anos de realização, o ECOA trouxe novas perspectivas no processo de ensino-aprendizagem, buscando sempre inovar e valorizando os saberes e experiências de educadores e alunos”.

Desde 2014, o programa já contou com a participação de 49 escolas, mais de 58 mil estudantes e 733 professores, realizando mais de 290 projetos, como hortas, bibliotecas comunitárias, parquinhos, mutirões de limpeza e campanhas públicas de conscientização ambiental, entre outros.