Prêmio Alcoa de Inovação em Alumínio


27 de Março de 2013

Como fazer um brainstorm criativo e eficaz

 

Você sabe o que é um brainstorm? Em tradução literal, significa “tempestade de ideias” e é exatamente isso. Um grupo se reúne para dar as mais variadas sugestões sobre um determinado tema, com o objetivo de que os diferentes pensamentos criem oportunidades inovadoras e de qualidade, auxiliando no desenvolvimento de um projeto.

 

A técnica foi criada pelo publicitário norteamericano Alex Osborn em 1939, mas continua atual: por ser uma maneira de conhecer o potencial criativo e inovador de um grupo, é utilizada por profissionais de diversas áreas, como comunicação, educação, finanças, engenharia, entre muitos outros.

 

Para os estudantes e profissionais que vão participar do 11º Prêmio Alcoa de Inovação em Alumínio, o brainstorm pode ajudar a desenvolver o potencial de uma proposta que tem tudo para ser mais criativa e inovadora. Para isso, é necessário seguir alguns princípios básicos para garantir o máximo de eficácia às reuniões. As dicas a seguir podem ser aplicadas em todas as suas reuniões.

 

- Grupo: o tamanho do grupo é variável, mas é importante que seja possível gerenciar a participação de todos. Recomenda-se trabalhar em grupos entre quatro e seis pessoas, preferencialmente de diferentes competências e áreas.

 

- Briefing: convide os participantes com antecedência e explique o que será discutido e quais são os objetivos. Dessa forma, todos poderão pensar no tema e ter ideias previamente.

 

- Duração: a duração de cada brainstorm depende dos objetivos do projeto, mas sempre estabeleça um período, que pode ser de 10, 30 ou 60 minutos.

 

- Foco: um bom brainstorm deve ser descontraído, mas a imersão no tema proposto é essencial para que as ideias fluam com mais naturalidade.

 

- Todas as ideias são válidas: esta é a regra que difere um brainstorm de outros tipos de reuniões. Por mais absurda que possa parecer, não descarte nenhuma sugestão. Quando as ideias não são julgadas, a criatividade ganha mais espaço.

 

- Funções: escolha alguém do grupo para ser o coordenador. Sua responsabilidade será conduzir a reunião.

 

- Um de cada vez: todos podem – e devem – falar e ouvir, mas cada um de uma vez. Dessa forma, é mais fácil compreender as ideias e colaborar com elas.

 

- Quantidade é necessária: quanto mais ideias forem geradas, mais chances de encontrar uma que seja aplicável. Em um bom brainstorm, quantidade pode ser qualidade.

 

- Ajude a criar: uma ideia pode parecer muito ousada, mas quanto mais pessoas ajudarem a desenvolvê-la, mais chances de adaptá-la aos objetivos do projeto.

 

- Documente e analise: depois dos primeiros minutos do brainstorm, ninguém se lembra das ideias iniciais. É importante que todos do grupo anotem as sugestões e que a reunião seja gravada em vídeo ou áudio. Isso facilitará a análise que será feita após o brainstorm, quando as ideias são estudadas e organizadas para verificar a possibilidade de implementação.

 

Vale lembrar que o brainstorm é uma das formas de gerar boas ideias, mas não deve ser a única, pois outras importantes oportunidades para seu projeto podem ser identificadas de outras maneiras. Por isso, após realizar o exercício, analise se seus objetivos foram alcançados e veja o que é possível fazer para aprimorar os resultados. Bom brainstorm e não deixe de se inscrever no Prêmio Alcoa de Inovação em Alumínio!